México

Sendo ponte natural entre a América Latina e os Estados Unidos, o México é um país com enorme potencial. Abrange uma área aproximadamente do tamanho da Europa Ocidental, tem uma população de 116 milhões e é a segunda maior economia da América Latina. Devido à sua nova reputação como uma economia dinâmica e em rápido desenvolvimento, o México é regularmente incluído entre os três primeiros mercados emergentes com os quais pode operar.

À medida que a economia do país cresce, aumenta a procura por importações. O governo mexicano está cada vez mais buscando reduzir a dependência comercial com relação aos Estados Unidos, de modo que o Acordo de Livre Comércio entre a União Europeia e o México coloque os exportadores portugueses numa posição ideal para competir em pé de igualdade com os empresários mexicanos, uma vez que Estados Unidos e Canadá estão isentos do pagamento de direitos aduaneiros.

POPULAÇÃO

125.385.833 (2015)

PIB

1.030,970 Milhares de milhões €

IVA

16%

FORMA DE GOVERNO

Sistema presidencial ou parlamentarista.

Moeda

Peso mexicano

Capital

Cidade de México

FUSO HORÁRIO

UTC -5 / UTC -8

IPC

Interanual (Outubro 2016) 3,1%

INDICADORES MACROECONÓMICOS

  • Ano
  • 2014
  • 2015
  • P.I.B.
  • 965,184 Milhares de milhões €
  • 1.030,970 Milhares de milhões €
  • DEUDA SOBRE P.I.B. (%PIB)
  • 54,002
  • 54,002
  • DÍVIDA PÚBLICA (%PIB)
  • 4.037,944 €
  • 4.383,226 €
  • DÍVIDA PER CÁPITA
  • 483,403 Milhares de milhões €
  • 556,744 Milhares de milhões €
  • EXPORTAÇÕES
  • 25,378 % do PIB
    323.108,258 milhões €
  • 31,006 % do PIB
    319.657,726 milhões €
  • IMPORTAÇÕES
  • 19,726 % sobre PIB
    324.920,767 Milhões €
  • 19,016 % sobre PIB
    299.499,419 Milhões €

DESALFANDEGAMENTO

  • Tipo de despacho
  • Valor da mercadoria*
  • Informal
  • Até 300 USD
  • Formal
  • A partir de 300 USD

*Válido para produtos gerais

ACoRDOS ECONÓMICOS BILATErAIS

A nível de acordos económicos bilaterais destacamos a Convenção para evitar a Dupla Tributação (15-02-2000) e o Acordo de Promoção e Proteção de Investimentos (03-08-2000)

 

No campo do comércio bilateral de produtos podemos encontrar: o Tratado de Livre Comércio e Parceria Económica entre a UE e o México, resultando num crescimento no comércio.

Além disso, a União Europeia assinou uma série de acordos comerciais preferenciais com o objetivo de desmantelamento pautal, isto requer a comprovação da origem preferencial, geralmente com certificado EUR1.

A declaração em fatura permite que os expedidores justifiquem a origem preferencial de seus produtos através de uma declaração própria incorporada na fatura comercial ou outro documento comercial que acompanhe o envio. No entanto, para operações em que o valor de mercadoria exceda 6.000 euros só é válida a declaração de origem preferencial que incorpore o número de exportador autorizado, sem este número não se pode aplicar o tratamento preferencial e deve gerir-se o certificado EUR1, que é emitido pelo representante do exportador ou representante aduaneiro na base de dados da fatura comercial e deve-se anexar o mesmo ao envio. Este número é concedido para aqueles exportadores autorizados pela Alfândega portuguesa, uma vez que o pedido é apresentado e levado a cabo um processo de auditoria onde se verifique capacidade do interessado para dar cumprimento às regras de origem e os demais requisitos legalmente estabelecidos.

Para envios entre particulares, podem-se admitir a tratamento aduaneiro preferencial determinadas operativas sem apresentar a prova de origem quando o valor do envio não exceda 500 EUR.

PRINCIPAIS SECTORES ECONÓMICOS

O setor primário

Nas atividades econômicas relacionadas ao setor primário do país, 4,2% do PIB, destacam-se aquelas relacionadas às atividades agrícolas: milho, cana-de-açúcar, sorgo, banana, trigo, laranja, limão, tomate, pimentão verde, manga e batata. Na parte de gado domina a criação de aves, vacas e porcos. Os minerais com maior produção são ouro, prata, chumbo, cobre, zinco, carvão, ferro e magnésio. Em 2006, 10% do PIB é atribuído à venda de petróleo.

 O setor secundário

Com uma contribuição de 33,3% para P.I.B, o setor é liderado pela indústria automóvel devido ao seu reconhecimento de alta qualidade em todo o mundo, juntamente com a produção eletrônica. Outras indústrias que se destacam pelo alto nível de produção são o cimento e construção, têxteis, alimentos e bebidas.

O setor terciário

Representa 62,5% do P.I.B. e as indústrias que predominam são: turismo, comércio, banca, telecomunicações, saúde, educação e transporte.

OPORTUNIDADES DE EXPORTAção

Estamos diante de um país com forte procura por equipamentos e bens intermédios, para os quais as importações para a indústria automóvel, eletrônica e elétrica são de grande interesse para Portugal.

Nas oportunidades ligadas aos acabamentos e componentes das operações de infraestrutura destacam-se as importações para os setores de transporte, telecomunicações e energia. As importações para o setor eólico e fotovoltaico são um grande ponto atrativo para as exportações portuguesas.

ÁREA De TRANSFERêNCIAS

Descarregue mais informação e conselhos sobre exportar para o México

Se necessita de mais informação, contacte um especialista da DHL para obter ajuda personalizada.