O seu negócio está preparado para crescer mundialmente?

 

Se tem um negócio assente em e-commerce, tornar-se global é apenas uma decisão a tomar. Quer ter clientes de todo o mundo? Claro que sim. Então, o que é que precisa de fazer para isso acontecer?

 
A maneira mais simples é ajustar o seu site de forma a aceitar encomendas para todos os destinos do mundo e deixar a DHL tratar dos detalhes. No longo prazo precisará de elaborar uma estratégia global robusta.

 
Vamos começar por analisar algumas questões importantes:

 

1. Quais são as suas prioridades?

 
Qual é o seu objetivo em tornar-se global? É para aumentar a sua reputação ou para ganhar eficiência pelo aumento da escala da sua operação? Seja qual for o motivo, saber as respostas ajudará a orientar a tomada de decisões para a sua organização e todas as empresas e equipas associadas.

 

2. Quão rápido precisarão os seus clientes dos seus produtos?

 
A sua escolha afetará tanto o custo geral como a velocidade de entrega. As suas opções incluem camião, comboio, transporte marítimo e aéreo, bem como combinações multimodais de várias opções de transporte. Obviamente, depende muito do que produz e para quem vende. O cliente a quem está a vender vai estar presente quando entregar o produto? Se não, precisará de um parceiro que possa oferecer o On Demand Delivery, para que possam especificar um horário conveniente.

 

3. Questões Alfandegárias

 
Os regulamentos alfandegários variam de país para país. Por exemplo, a Argélia proíbe a importação de mais de 400 medicamentos, a Nigéria diz não às flores de plástico e a Argentina não permite mapas nos sistemas de GPS. Os sites das associações comerciais são ótimos recursos para ajudá-lo a entender a conformidade alfandegária, mas cabe-lhe a si descobrir o que pode ser proibido no seu destino.

 
Pode tomar a decisão de contratar um Agente Alfandegário para atuar durante o seu processo de envio de encomendas internacionais, para o ajudar a preparar os documentos e a libertar mercadorias na alfândega. É importante saber que a DHL Express faz isso todos os dias para com os seus clientes, agindo como um Agente. A DHL mantém a documentação alfandegária relevante e detalhada, antes de entregar as informações de envio à autoridade alfandegária apropriada. Com os nossos especialistas internacionais e de desalfandegamento ao seu lado, acordos comerciais, submissão de declarações de envio e classificações tarifárias, bem como o cálculo de taxas e impostos são tratados antes dos seus bens serem encaminhados além-fronteiras.

 
A DHL presta também auxílio no planeamento de contingência, oferecendo suporte e orientação. Por exemplo, se um desastre financeiro ou natural afetar a sua capacidade de entregar mercadorias aos clientes no estrangeiro, é importante ter um plano de recuperação em vigor. Podemos, claro, ajudar na criação de um – para tal, basta falar com o seu representante local.

 

4. Uma etiquetagem correta mantém as coisas em movimento.

 
Seja sempre o mais preciso possível ao preencher qualquer documentação. Tenha presente estes exemplos de descrição específica e deixe-os servir como referência. Por exemplo: amostras de parafusos de madeira, peças para impressão, camisa masculina (presente), carta comercial. Se a sua documentação não for bem detalhada, pode causar atrasos, o que aumentará a insatisfação do seu cliente.

 
Certifique-se de que o seu produto segue em perfeitas condições para o seu destino. Saiba como em http://www.exportarcomdhl.pt/embalagens

 

5. Informe-se sobre requisitos especiais

 
Algumas considerações incluem:

 
• Embale o seu produto de modo a proteger o mesmo contra danos físicos
• Use embalagens robustas
• Ajude o cliente a identificar o seu envio
• Evite o excesso de embalagem e mantenha a distribuição de peso
• Evite nomes de produtos e marcas fora da caixa que possam incentivar o roubo.

 
As leis estão sujeitas a mudanças significativas nas fronteiras. Por exemplo, nos EUA, os Regulamentos e Normas Estrangeiras impõem certas restrições sobre produtos animais, têxteis e produtos eletrónicos.

 
Visite o site Export.gov para obter mais informações sobre padrões americanos e estrangeiros, bem como requisitos e regulamentos específicos. Para importações na UE, consulte o site da Comissão Europeia. Isole cada mercado e estude como poderá fazer negócios lá. Familiarize-se com o lado logístico do comércio internacional, como regras de envio e moeda. No site Export.gov encontra um estudo de mercado útil e guias “Doing Business In” para começar. E há artigos em muitos dos principais territórios para os quais pode exportar, aqui mesmo no ExportarComDHL.

 

6. Aproveite ao máximo as fronteiras abertas

 
Os acordos de livre comércio (FTAs) ajudaram a impulsionar o crescimento dos negócios, acabando com o protecionismo e ajudando as empresas a negociar com públicos cada vez maiores. Isso causou uma melhoria nos padrões de vida e permitiu que as famílias tivessem acesso a bens e serviços importados de forma mais acessível. Em última análise, ao remover barreiras ao comércio, até as empresas mais pequenas podem competir e prosperar à escala global. Isso é particularmente aplicável às empresas dos EUA que, por meio de FTAs podem potencialmente ter acesso a 95% dos consumidores que vivem além das suas fronteiras.

 
Atualmente os EUA têm acordos de livre comércio com 20 países, o que significa que o comércio internacional se tornou um componente crítico da economia ao lado do fluxo de produtos domésticos. De acordo com o Departamento de Comércio dos EUA e a Administração de Pequenas Empresas, o comércio representa 30% da economia dos EUA, com as exportações de bens e serviços a chegar aos 2,3 triliões de dólares em 2014.

 
Apesar de cerca de 300 mil empresas norte-americanas exportarem os seus produtos e serviços para o exterior, segundo a International Trade Administration, isto representa apenas 1% dos potenciais 30 milhões. Além disso, enquanto 98% das empresas que operam atualmente são pequenas e médias empresas, uma barreira mental e logística significativa para entrar mais no mercado de comércio internacional é o complexo processo alfandegário, envolvendo vários procedimentos e documentação. Felizmente, vários esforços de modernização da alfândega prometem melhorias na sua eficiência geral, como a implementação de janelas únicas e o aumento da implantação de tecnologias de automação em todo o mundo.

 
E embora se espere que a crescente guerra comercial entre os EUA e a China reduza o crescimento de 4,4% para 3,9%, ainda há grandes oportunidades para o resto do mundo, como sugerem os números da OCDE. Outra história que afetará o mundo do comércio global é o Brexit. Se o Reino Unido deixar a União Europeia, terá um impacto enorme em qualquer negócio dentro ou fora dessas áreas altamente desenvolvidas. Embora hajam obstáculos a superar, a maioria das regiões está a trabalhar para asssegurar mais oportunidades para as empresas se desenvolverem no comércio internacional, tornando mais fácil para as pequenas e médias empresas operarem à escala global.

 

Recursos que o podem ajudar

 
Existe uma variada seleção de recursos disponível para as empresas que procuram aproveitar o comércio global de bens e serviços. Para as empresas Americanas, bem como aquelas que têm como objetivo fazer negócios nos Estados Unidos, existem várias fontes de informação que pode consultar, incluindo:

 
• National Export Initiative (NEI): O NEI é um bom ponto de partida para quem procura dados comerciais e esclarecimentos sobre as várias regras envolvidas no processo de exportação.
• Small Business Administration (SBA): Para pequenas e médias empresas, os Centros de Assistência à Exportação da SBA oferecem ajuda individual e atendem a consultas e necessidades específicas.
• US Customs and Border Protection (CBP): O CBP oferece orientação sobre procedimentos e requisitos alfandegários para garantir a conformidade da sua empresa.



Se necessita de mais informação, contacte um especialista da DHL para obter ajuda personalizada.