FATORES CHAVE QUE PODEM FAVORECER A EXPORTAÇÃO DOS SEUS PRODUTOS

EXISTEM MUITOS INCENTIVOS PARA EXPORTAR E EXPANDIR O SEU NEGÓCIO PARA NOVOS PAÍSES QUE PODERÃO TRAZER NOVAS OPORTUNIDADES DE NEGÓCIO E O SUCESSO DOS SEUS PRODUTOS EM NOVOS MERCADOS.

 

Antes de se aventurar nesta nova etapa do seu negócio, o melhor será fazer um estudo prévio, conhecer as barreiras e vantagens que poderá encontrar na exportação e de que forma afetará a sua margem e preço final.

 

O comércio internacional é na maioria das empresas o principal pilar da sua faturação. É frequente ter como barreiras os impostos indiretos, as tarifas, algumas restrições ou certificados necessários, para comercializar certos produtos em determinados países.

 

Uma análise cuidada às barreiras e vantagens na exportação, pode ajudá-lo a tomar decisões. E por sua vez, auxilia-lo na avaliação das informações bem como dos recursos necessários para entrar em determinado mercado externo.

 

Por exemplo, as tarifas de exportação para o Japão diferem consoante o produto a que se trata. Se exportar calçado ou um alimento, um produto industrial ou mobiliário, os preços são distintos. No caso de produtos agrícolas os encargos tarifários são mais elevados. Por essa razão, é importante avaliar seu impacto nos custos de exportação e nos preços finais naquele mercado.

 

Razões para exportar 

Com a instalação da crise em Portugal as empresas portuguesas tiveram que se reinventar, porque a economia do País atravessou uma forte desaceleração e enorme quebra nas vendas. Desde 2009 que as marcas portuguesas iniciaram o seu processo de exportação, à procura de novos rumos e com maior destaque para os Países da América Latina, Estados Unidos e até a Ásia.

 

Os valores faturados em exportações aumentaram 13,3% nos primeiros cinco meses de 2017 face a igual período do ano passado, revelam dados do Instituto Nacional de Estatística (INE).

 

O Governo tem desenvolvido vários programas de incentivo e ajuda à exportação, como o Portugal Export 2020.

 

Diversificar as fontes de rendimento

Quando existe uma desaceleração na economia de determinado País, a forma de não afectar a faturação será apostar na exportação nos mercados que sejam uma oportunidade de crescimento e os mercados estejam em progressão.

Um exemplo são as PMEs, que enfrentaram a crise económica em Portugal da melhor forma, aliando-se à produção com destino às exportações. As empresas portuguesas ao exportar permitiram que não fossem tão afetadas pela recessão económica e evitassem quedas nas vendas.

 

Barreiras na exportação

Trata-se de conhecer antecipadamente todos os requisitos necessários para ser bem-sucedido na sua atividade empresarial e realizá-lo de forma eficiente e rentável. Os requisitos não devem ser entendidos como obstáculos às exportações.

 

Estrutura interna adequada para a internacionalização

O êxito do salto para o comércio internacional reside na capacidade da empresa enfrentar os novos desafios. Seja ao o nível de produção e logístico, deter uma equipa formada e preparada para a gestão dos processos de exportação. Desde ao domínio do idioma, as normas e documentação necessária.

 

Anti-dumping restritivo

Entende-se por medidas que não favorecem o mercado livre, mas também é a maneira que uma economia menor tem de se proteger de práticas abusivas de custos e preços que quebram o mercado.

O anti-dumping também tem outros objetivos. Restringir e limitar as exportações de países e empresas que não cumpram com condições de trabalho dignas ou respeito ao meio ambiente.

 

Barreiras alfandegárias  

Anexar desde os custos extras para as taxas de impostos e as barreiras administrativas. A alfândega é responsável por todo o tipo de licenças e controles aos quais as exportações de determinados produtos podem estar sujeitas.

A taxa de entrada dependerá do produto e dos regulamentos do país. Bem como acordos comerciais bilaterais que visam incentivar as exportações.

As barreiras administrativas podem ser documentos básicos onde a natureza e a origem da mercadoria e seu valor de mercado são indicados. Além de licenças específicas, como certificados fitossanitários e a fumigação das mercadorias. Em algumas ocasiões, são exigidos documentos como o DAA, que deve acompanhar a exportação de bebidas alcoólicas ou óleos minerais.

Em certas áreas, essas licenças e certificações são muito restritivas. O país de destino pode ter uma forte política protecionista para a indústria local e evitar o dumping.

 

O papel da logística

A logística, o transporte e a expedição na alfândega são processos que devem prestar muita atenção. Para facilitar esta gestão, transportadoras como a DHL Express Portugal, oferecem um amplo serviço de assessoria, transporte e os procedimentos na alfândega para superar grande parte das barreiras às exportações e agilizar a atividade empresarial.



Se necessita de mais informação, contacte um especialista da DHL para obter ajuda personalizada.