EXPORTAÇÃO DE VINHOS: CONSIDERAÇÕES QUE DEVE TER EM CONTA  

 

A exportação de vinhos atingiu em todo o mundo o seu máximo histórico em 2017. Portugal fez parte deste acontecimento, quatro vinhos portugueses ocuparam o Top 100 da WineSpectaror nesse mesmo ano.

 

A DHL Express oferece às empresas vinícolas soluções completas de embalagem que garantem o transporte correto e seguro da mercadoria até ao país de destino.

 

O VINHO PORTUGUÊS ESTÁ NA MODA

 

O setor vinícola teve um forte crescimento nos últimos anos devido à internacionalização das empresas de vinho, que estão a apostar na abertura de novas rotas de mercado. Com este objetivo, a DHL Express ajuda-o a garantir o transporte mais adequado da sua mercadoria.

 

As exportações de vinho português em 2017 alcançaram 777.924 milhões de euros, traduzindo-se num aumento de 7,5% em relação aos valores do ano anterior. Este crescimento marca um novo recorde, tendo sido largamente ultrapassados os 737 milhões de euros de 2015, e recuperando-se assim das dificuldades sentidas em 2015 e 2016 com as crises de Angola e Brasil.

 

Por categorias de produto constata-se que é fundamentalmente o Vinho de Mesa que sustenta o crescimento global, apresentando uma taxa de crescimento de 13,1%. Dos 54 milhões de euros de acréscimo das exportações totais, 50 milhões devem-se a este segmento de vinhos.

 

Já na ótica dos mercados, verifica-se que este crescimento se centrou essencialmente nos 16 mercados onde a marca Vinhos de Portugal está presente.

 

A taxa de crescimento das exportações para estes 16 mercados foi de 12,5%, enquanto os restantes mercados mundiais apresentaram uma taxa de crescimento de apenas 1,1%.

 

A Europa continua a ser o principal destino das exportações, seguida pela América e Ásia, onde o maior comprador é a China.

 

De acordo com os dados fornecidos pela OIV (Internacional Organisation of vine and Wine), o principal comprador de produtos vinícolas (incluindo o vinho aromatizado, o mosto e o vinagre) é a Alemanha (187,9 milhões de euros), seguida pelos Estados Unidos (165,1 milhões de euros) e pela França (161,6 milhões de euros). Se falarmos em volume de litros, o país que importou mais vinho português em 2017 foi a França (314,5 milhões), deixando a Alemanha (206,6 milhões) em segundo lugar.

 

Apesar destes dados, a China está posicionada como o maior comprador de vinho em volume e valor. Há um aumento no vinho a granel (36,2%), embalagem (33%) e no vinho com denominação de origem (23%). Além disso, nos primeiros seis meses de 2017, o país asiático aumentou as compras em mais de 50% em volume e 20% do valor.

 

Segundo o OIV, a venda de vinhos embalados também cresceu (5,4% em volume e 4,8% do valor total), junto com os espumantes (24% em volume e 10,5% do valor).

 

As exportações a nível mundial também cresceram no ano passado, quebrando recordes e atingindo 10,585 mil milhões de litros. Ou seja, um aumento de quase 4% em relação a 2016.

 

CONSIDERAÇÕES RELEVANTES

 

Antes de iniciar o processo de exportação de vinho, é muito importante fazer várias considerações:

 

  • A que país nos estamos a dirigir?
  • Quais as embalagens e o tipo de transporte que vou precisar?
  • Que taxas e tarifas tenho de ter em conta?

 

Para a exportação de vinho e internacionalização de qualquer outro produto, é essencial preparar um estudo de mercado, que também irá ajudar a estabelecer qual o mercado alvo, além de se descobrir a concorrência e qual o ramo de negócios que deve ser estabelecido no país.

 

EXPORTAÇÃO DE VINHO

 

O vinho é considerado uma mercadoria especial devido à importância que representa na economia do nosso país. Este tipo de envios deve atender a mais requisitos na sua exportação para determinados países, por ser exigida documentação específica. Ao lidar com produtos alimentares, é essencial que o envio reflita os requisitos específicos de conservação e garanta a sua integridade.

 

Relativamente à alfândega, é essencial conhecer os seus requisitos e os custos associados ao embarque, para cada país. O conhecimento de todas essas informações irá ajudá-lo a ser mais competitivo e mais rápido. Caso contrário, existe o risco de o produto não chegar ao seu destino. Para evitar esses problemas, devemos ter em conta que cada país tem as suas restrições e tipos de impostos, assim como limitações na importação.

 

A DHL tem uma vasta experiência na exportação de vinhos – colocamos à sua disposição um conjunto de documentos com informações relacionadas com o transporte e com a alfândega. Descubra aqui toda a informação sobre a alfândega.

 

Quer saber mais sobre exportação de vinho? Descarregue aqui o nosso guia completo para exportação de vinhos, onde encontrará todas as informações que necessita.



Se necessita de mais informação, contacte um especialista da DHL para obter ajuda personalizada.